Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Clipping

09
Novembro 2017

DF em alerta depois de temporal



Alagamentos, casas destelhadas, famílias desalojadas, barcos virados, árvores caídas, ruas inteiras comprometidas. O temporal da madrugada de ontem causou estragos e transtornos em ao menos cinco regiões do Distrito Federal. Não houve registro de mortos e feridos. Contudo, os prejuízos são grandes. O clima continua instável. Chuvas e ventos fortes estão previstos para ocorrer no fim de semana. Para se ter dimensão das pancadas, em apenas uma hora choveu no Plano Piloto o que era esperado para três dias. Foram 24mm. Os ventos no Gama chegaram a 57km/h. Em todo o DF, até ontem, choveu 30% do esperado para todo o mês: 69,5mm.

A média de novembro é de 231mm. O aguaceiro veio de uma área de instabilidade formada entre o sul de Tocantins e o extremo norte de Goiás. As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Agentes da Defesa Civil começaram a trabalhar às 19h de terça-feira, com as primeiras pancadas, em Ceilândia. Às 3h de ontem, homens ainda faziam resgates em diversas regiões do DF. "O cenário de chuva forte exige cautela e cuidado para evitar danos materiais e humanos. Todas as nossas equipes passaram a madrugada em campo. Eu, por exemplo, só dormi uma hora (ontem)", contou o subsecretário de Proteção e Defesa Civil, Sérgio Bezerra.

O órgão atuou em Santa Maria, Vicente Pires, Sol Nascente, Sobradinho, Planaltina, Jardim Botânico, Taguatinga, Asa Norte e Lago Norte. O balanço parcial da Defesa Civil, divulgado na noite de ontem, anotava 12 casas comprometidas e seis famílias desabrigadas. "Precisamos dar ajuda humanitária, como comida e colchões, no Varjão. É uma situação crítica", ressaltou Bezerra. Sem energia Ao menos 150 árvores caíram. Muitas delas sobre redes de transmissão de energia elétrica. A Companhia Energética de Brasília (CEB) calcula que deverá realizar ao menos 2,1 mil serviços no DF para normalizar a situação. As áreas mais afetadas são a Asa Norte e o Lago Norte, onde o cabeamento e postes foram danificados.

Não há previsão para a normalização do fornecimento de energia. Quadras inteiras continuavam sem energia, até a noite de ontem. A falta de energia impulsionou a pressão de uma bomba de água, que provocou o rompimento de uma adutora na Estação de Tratamento de Água do Lago Norte. Itapoã e Paranoá tiveram o fornecimento interrompido. Dois blocos da Universidade de Brasília (UnB) também ficaram no escuro e as aulas foram suspensas para 1,2 mil alunos. O Hospital Universitário de Brasília (HUB) precisou de geradores para funcionar. Em segurança O Inmet colocou a capital federal em alerta para o risco de chuva acumulada.

A previsão é de que as pancadas atinjam 50mm por dia, até o fim de semana.  Com validade até as 8h de hoje, a Defesa Civil recomenda que as áreas sujeitas à inundação e a alagamentos sejam evitadas. O nível da água pode subir, causando acidentes. Durante a chuva, se estiver em casa, a Defesa Civil recomenda a não utilização do telefone com fio, nem ficar próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas. Também é bom evitar equipamentos elétricos ligados à rede elétrica. Em caso de raios, é importante que os pedestres não permaneçam em áreas abertas, em alto de morros, próximos às cercas de arames, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos, debaixo de árvores isoladas.

A Defesa Civil orienta, também, que sejam evitados lugares que não possuam proteção contra raios. 57 km/hVelocidade do vento no Gama 12 Quantidade de casas comprometidas  150 Número de árvores que caíram em função das rajadas  "Precisamos dar ajuda humanitária, como comida e colchões, no Varjão. É uma situação crítica" Sérgio Bezerra, subsecretário de Proteção e Defesa Civil Nível dos reservatórios sobe timidamente Chove regularmente no Distrito Federal desde os últimos dias de outubro e no começo de novembro, mas o efeito ainda não foi sentido no nível dos reservatórios que abastecem a região.

Essas são as primeiras precipitações da primavera e não se recupera uma deficiência de água tão grande como a da região de Brasília em poucos dias. É preciso chover com regularidade por meses. Mas o temporal da madrugada de terça para quarta-feira contribuiu para estancar a queda do nível dos reservatórios do Descoberto e de Santa Maria. No começo da tarde de ontem, o nível do Descoberto era de 5,8% e o de Santa Maria estava em 22,3%, de acordo com a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). Na terça-feira, o Descoberto estava com 5,3%, e Santa Maria, com 21,9% de armazenamento.

Cuidados Confira as recomendações de segurança em caso de temporal: Em casa » Tenha um lugar previsto, seguro, onde você e sua família possam se alojar no caso de uma inundação. » Limpe o telhado e canaletas de águas para evitar entupimento. » Se você morar ou tiver comércio em áreas sujeitas à inundação, coloque seus móveis e estoques em lugares altos. » Não toque nem use equipamentos elétricos que tenham sido molhados ou estejam em locais inundados, pois há risco de choque elétrico e curto-circuito. » Jamais se aproxime de cabos elétricos arrebentados e desligue os aparelhos elétricos das tomadas e o gás.

Na rua » Retire todo o lixo e leve para áreas não sujeitas a inundações. » Não jogue lixo nos bueiros e boca de lobo, nem nos córregos e rios, para não obstruir o escoamento da água. » Não deixe crianças brincando na enxurrada ou nas águas dos córregos, pois elas podem ser levadas pela correnteza ou se contaminar, contraindo graves doenças, como hepatite e leptospirose. » Não use alimentos atingidos pela água de enchente ou inundação, nem beba água de enchente ou inundação. No carro » Verifique o estado dos para-brisas. Ele pode ter ficado ressecado durante a estiagem. Confira as lanternas e os faróis, que devem permanecer ligados em tempestades.

» Não ultrapasse os 60 km/h, mesmo em vias expressas. É a velocidade segura para evitar aquaplanagem. » Se a chuva estiver muito forte, espere. Não se arrisque em vias alagadas e tesourinhas inundadas. Três perguntas para Mamedes Luiz Melo,   meteorologista do Inmet Teremos temporais semelhantes nos próximos dias?Nas próximas 48 horas, temos previsão de chuva, mas com menos intensidade. As pancadas vão ser reduzidas hoje e amanhã. Mas no fim de semana, podem haver novos temporais. O que causou uma chuva com ventos tão fortes?Ao longo da estação chuvosa, é comum haver pausas de um ou dois dias.

Como a umidade relativa do ar está alta, ocorre a formação de nuvens. Os temporais dependem de uma série de variantes. A tempestade da madrugada de quarta-feira ocorreu por causa de uma área de instabilidade no norte de Goiás e sul de Tocantins. Os ventos trouxeram as nuvens carregadas para cá. A chuva no Distrito Federal está dentro do esperado?Felizmente, sim. A média para novembro é de 231mm. Já choveu 69,5mm. Há uma expectativa que a média pode ser superada. Isso é bom para o abastecimento dos reservatórios, mas não para a recuperação total. Para isso, deve chover na região das bacias ou nos rios que as abastecem.




.

Veja mais

 

SINDIVAREJISTA DF

Setor Comercial Sul (SCS)
Quadra 06 Bloco "A" Lote n° 206
Edifício Newton Rossi - 4° Andar

Lojista, como deseja receber nossos informativos?

SINDICATO FILIADO À FECOMÉRCIO

Se você é lojista clique e fale com a gente.